top of page

Cenp-Meios: mercado inicia 2024 com crescimento de 23%

Agências que compõem o monitoramento registraram movimentação total de R$ 4,573 bilhões em compra de mídia nos meses de janeiro, fevereiro e março


(Crédito: Adobe Stock)


O mercado publicitário brasileiro teve um início de ano de crescimento além do esperado, de acordo com resultados do painel Cenp-Meios, divulgados nesta terça-feira, 4.


Nos meses de janeiro, fevereiro e março de 2024, as 317 agências que compõem o painel registraram a movimentação de R$ 4,573 bilhões em compra de mídia.


Esse valor representa uma alta de 23,1% em comparação com os dados do primeiro trimestre de 2023, quando o Cenp-Meios reportou uma movimentação de R$ 3,715 bilhões em compra de mídia.


Vale considerar, contudo, que a amostra do primeiro trimestre deste ano reúne a participação de mais agências: 317 contra 299 no primeiro trimestre do ano passado.


De acordo com o Fórum de Autorregulamentação, o Cenp, os dados do primeiro trimestre do ano sinalizam um recordo nos negócios desde a retomada pós-pandemia e indicam que o ano deve seguir em ritmo de intensa movimentação, sobretudo por conta de eventos como a Olímpiada e as tradicionais datas de compras do segundo semestre, Black Friday e Natal.


Crescimento de quase todos os meios


Em valores absolutos, todos os meios mapeados no painel tiveram aumento em compra de mídia na comparação direta com o primeiro trimestre de 2023, com exceção de Jornal.


A Internet, meio que vem registrando a maior taxa de crescimento nos mais recentes painéis do Cenp-Meios, registrou movimentação de R$ 1,660 bilhão em compra de mídia, ficando com participação de 36,3% no bolo publicitário. Para efeito de comparação, nos primeiros três meses do ano passado, a Internet registrou faturamento de R$ 1,259 bilhão e share de 33,9%.


A televisão aberta seguiu liderando, em termos de participação, os investimentos publicitários nesse início de 2024. O meio angariou faturamento de R$ 1,937 bilhão, ficando com share de 42,4%. No primeiro trimestre de 2023, a TV aberta tinha share de 46,3%, com faturamento registrado de R$ 1,718 bilhão.


O out-of-home iniciou 2024 com aumento de share na comparação com os primeiros três meses do ano anterior. No primeiro trimestre de 2023, o OOH tinha 8,4% de share e faturamento de R$ 312 milhões, segundo o Cenp-Meios. Agora, o meio angariou um montante de R$ 515 milhões e elevou o share para 11,3%.


Ainda de acordo com o painel a TV por assinatura angariou um faturamento de R$ 222 milhões no primeiro trimestre de 2024, pouco superior aos R$ 211 registrados no começo de 2023. Em termos de share, porém, a TV por assinatura teve um ligeiro recuo de participação, indo de 5,7% a 4,9% na comparação direta entre os dois primeiros trimestres.


Algo parecido aconteceu com o Rádio, que tinha participação de 3,9% no primeiro trimestre de 2023 e, agora, aparece no painel do Cenp-Meios com share de 3,6%. Em valores absolutos, porém, o meio cresceu, angariando faturamento de R$ 165 milhões contra R$ 145 milhões nos três primeiros meses de 2023.

O meio Revista teve faturamento de R$ 12,5 milhões em 2024, contra R$ 8,03 milhões no primeiro trimestre do ano passado. No atual painel, o meio revista ficou com share de 0,3% (no ano passado era 0,2%).


O Cinema registrou um faturamento bem superior ao do início de 2023: R$ 8,3 milhões contra R$ 4,3 milhões no primeiro trimestre de 2023. Esse desempenho elevou ligeiramente o share do meio, que foi de 0,1% para 0,2%.


O Jornal foi o único meio que registrou recuou no faturamento na comparação direta com o primeiro trimestre de 2023: R$ 51,5 milhões neste ano contra R$ 53,7 milhões no ano passado. Em termos de share, Jornal ficou com1,1%, contra 1,4% no primeiro trimestre de 2023.



Comments


bottom of page